Ser alguém
É algo tão difícil
Sou ninguém
Nesse mundo tão indócil.

Sobre eles
Tenho tanto a dizer
Agora, sobre mim
Resta apenas o “ser”.

“Ter” pode ser bom ou ruim
O início ou o fim
Só fica perfeito
Se colocado antes do “você pra mim”.

Ver esse sol me faz “ser iluminado”
Interprete como quiser, eu não ligo
Ligo pra quem vai dividir essa luz comigo
E estar sempre ao meu lado.

À aquele que mal me conhece
À aquele que comigo convive
Saiba que nem tudo é o que parece
E que, no fundo, a gente só sobrevive.

Maria Cecilia Rocha Diniz – 3º Ano EM A