“Eu tenho um sonho. O sonho de ver meus filhos julgados por sua personalidade, não pela cor de sua pele.” Frase dita por Martin Luther King, desejo esse, que mesmo atualmente, não foi realizado, uma vez que muitas pessoas, em diversos ambientes, sofrem com o racismo frequentemente.
Mesmo após o ápice do Nazismo, em que milhares de pessoas foram mortas devido a cor de suas peles para que houvesse apenas uma “raça pura”, muitos ainda sofrem por causa de sua etnia, sendo agredidas física ou verbalmente. É necessário frisar que, ainda hoje, 71,4% das vítimas de homicídio no Brasil são negros.
Por outro lado, as autoridades vêm buscando punir pessoas que praticam o racismo, além disso também há uma lei criada para penalizar esses criminosos, contudo muitos casos, mesmo com esforço da polícia, ainda ficam impunes, às vezes pelo medo ou vergonha da vítima de denunciar.
Sendo assim, para que o desejo de Martin Luther King e de milhares de pessoas que sofrem com o racismo se cumpra, é necessário que sejam feitas, pelo governo, campanhas em prol da igualdade e as escolas devem ensinar que, independentemente da cor, todos são iguais, pois assim como disse Nelson Mandela “Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, elas podem ser ensinadas a amar.”

Amanda Magalhaes Lima – 9º C